Nessa volta quero primeiro pedir desculpas pela demora desde a última publicação. Muita coisa mudou em minha rotina e acabou interferindo na atualização do blog. Dito isto, volto à cultura pop, o post a seguir pode até parecer focado em música, mas envolve comportamento, moda e um monte de outras coisas.

 

Desde meados de 2011, a mídia vem martelando a exposição e a exploração da chamada classe C. Os programas sociais do governo, o crescimento da economia e todos os fomentos ao consumo, além da inclusão digital abriram os bolsos e também os olhos e ouvidos do mainstream para a música, a dança, a moda e a culinária da dita “ralé”. Nunca o Brasil assumiu tão escancaradamente e com orgulho a sua pseudo vocação vira-latas com o que vou chamar de “Estética Cafuçu”.

Companhia da Lapada, um dos símbolos da “Estética Cafuçu”.

 

O cafuçu está na moda.

O sucesso de artistas distintos como Gaby Amarantos, Michel Teló, Companhia da Lapada, MC Catra, Bonde da Stronda, MC CegoeMC Metal, Aviões do Forró e muitos outros, confirma que de tempos em tempos o Brasil “(re)descobre” o seu “dark side of the country”, como aconteceu com o manguebeat, mas também explica fenômenos como a enorme penetração (ops) popular de Amado Batista, Odair José e Raimundo Soldado, por exemplo. Acredito que a internet ajuda a romper a barreira da segmentação regional na divulgação de gente vinda de todos os cantos do país.

Para completar o pacote, a Globo investiu pesado nas novelas Avenida Brasil e Cheias de Charme (As Empreguetes), com a pretensa missão de “representar” o cafuçu way of life, com excelente audiência, diga-se de passagem. Resumindo: O cafuçu está na moda.

 

Ser cafuçu é um estilo de vida.

A “Estética Cafuçu”, repito, não é só música, engloba vocabulário, figurino e gestual carregados de sex appeal, que ajudaram a popularizar a Periguete e o Moleque Piranha, os alardeados e nem tão novos personagens sociais brasileiros.

A expressão cafuçu é originária do Nordeste, e usada para designar a pessoa desajeitada, desarrumada, brega, malvestida, feia, etc. O cafuçu autêntico, encontra-se principalmente, mas não somente, na periferia, pois tem muito cafuçu que dirige carrão e possui uma gorda conta bancária, afinal cafuçu não é condição social, é estilo, atitude e personalidade, e segundo o “tio” Caldas Aulete, significa: o diabo; indivíduo desqualificado, preguiçoso, que nada faz; malvestido, de mau aspecto, ger. com defeito físico; bronco, rude, que costuma trabalhar isolado e em condições difíceis.

Cafuçu, para alguns é puro e simples mau gosto. Acho que existe gosto somente, até porque, na minha opinião, não existe nada mais cafuçu do que o Restart. E sim, gosto se discute.

Como sempre, ao final deste texto você encontra videos de alguns artistas citados. Veja e tire suas conclusões. É isso.

Não deixe de curtir, compartilhar e comentar. Um grande abraço e até breve.

 

Videos

Companhia da Lapada

***********************

MC Cego & MC Metal

***********************

Raimundo Soldado

***********************

Anúncios